sexta-feira, 15 de fevereiro de 2008

Dicionário

Na província, há sempre expressões e vocabulário próprio, e até mesmo dão significados diferentes às mesmas palavras.

Algumas diferenças entre o português e o qualquer coisa ês que se fala por aqui por onde trabalho:

- Destemido em todo país significa corajoso. Aqui não. Aqui significa zangado;

- Pão-de-Deus
aqui é arrufada. (arrufada de onde venho não tem côco);

- Sempre aprendi a referir-me ao objecto que afia os lápis como "o afia" , "o afia-lápis" ou "apara-lápis". Aqui é "a afiadeira";

- Artimanhas aqui diz-se más-artes;

- Um compal
ou um sumol e um hamburguer aqui pede-se no feminino: uma compal ou uma sumol e uma hamburga (reparar em como o uer se transformam rapidamente num a);

- Pescar ao fundo
é habitualmente a expressão utilizada quando alguém adormece profundamente, normalmente num sitio não dedicado ao acto;

- Os bolos aqui, excepto os que têm os nomes errados, não têm nome. Pedem-se da seguinte forma: - Vizinha, quere aquele ali daquele lade. Não, o outre a seguir ao palmiere. Ó mor na' tás a vere? Olha traz-me antes uma terrada e um safanade.;


Isto tudo dito em tom de cantiga e sem dizer os o no final das palavras e a trocar os am por em.

(É impressão minha ou isto está a parecer uma anuncio qualquer com um brasileiro conhecido do futebol? Naaaaaaaaa, é impressão minha)

Só para terminar e com chave de ouro:
Aqui um filho diz para a mãe:
- Mãe, dá-me um chiquelate.
Responde a mãe:
- Não é chiquelate, é esquelate.


2 comentários:

terramater disse...

Ó more, vê s'arranjes mais maginação. Atã nã t'alembres de "empachar"?
Vá-lhe te Deus, és mesme gente de três quinas...

Sandrina disse...

ahahahah

Uma que eu gosto muito e que me faz urticária é : Não xinques aí !!! ( não toques aí)

ahahah