quinta-feira, 18 de junho de 2009

O desconhecido e o arriscar

O desconhecido é sempre aterrorizante, mesmo que se esteja mal.
O não saber o que nos espera, pelo menos para mim que gosto de planear tudo num prazo de anos, é difícil de gerir.
Daí o preferir comodamente a vida que se tem, mesmo que infeliz, que arriscar.
No entanto, tudo tem um limite, e o marasmo que a vida se torna também não se consegue suportar indefinidamente.

Isto tudo para dizer que o temido desconhecido se transformou em algo muito familiar. Familiar no sentido de que tudo me lembra as minhas origens, o meu mundo primitivo.

O irónico de tudo isto é que a incógnita afinal era a minha identidade, e o que tinha como real e conhecido era afinal o irreal.


3 comentários:

Loira disse...

Acho que vou fazer um "spamzito" deste teu post....conheço algumas pessoas que o deviam ler ;)

Beijo

mãe de dois disse...

O Spamzito que quiseres, amiga.

Bj

Ana Sousa disse...

*suspiro*...